Superaglomerados rondam a Via Láctea

Matthew Colless, professor da ANU – Universidade Nacional Australiana, é um dos colaboradores da equipe internacional de pesquisadores que descobriram um dos maiores aglomerados galáticos do universo, próximos à Via Láctea. De acordo com o professor, o superaglomerado a Vela — anteriormente não detectado, mas ocultado por estrelas e poeria de nossa galática — é um objeto massivo que influencia o movimento de nossa galáxia.

15665837_1273438206012903_153729112367987363_n

O Telescópio Anglo-Australiano

“Este é uma das maiores concentrações galáticas de que se tem notícia – talvez a maior em nossa vizinhança galática, mas isso deve ser confirmado por estudos posteriores”, afirma Colles. Ele ressalta que a gravidade do aglomerado pode ajudar a explicar a diferença entre as o movimento medido da Via Láctea através do espaço, e o movimento predito pela das galáxias mapeadas.

Com o o telescópio Anglo-australiano, o pesquisador mediu as distâncias entre muitas galáxias para confirmar ideias anteriores, como a que diz ser o aglomerado de Vela um superaglomerado. Ele também auxiliou estimativas dos efeitos que os superaglomerados tem sobre o movimento da nossa galáxia. A pesquisa envolveu astrônomos na África do Sul, Austrália e Europa.

ScienceDaily