Pesto, a próspera colônia grega na Itália

Na cidade de Pesto, Itália, arqueólogos desenterraram uma estrutura palacial e objetos inestimáveis de cerâmica. O sítio arqueológico é de uma antiga colônia grega na península itálica, conhecida por Poseidônia ou Paestum. Os achados arqueológicos evidenciam uma enorme riqueza, por parte dos fundadores da cidade, da cidade que foi uma das principais colônias da Magna Grécia, há cerca de 2500 anos.

Ao que tudo indica, a construção, que pode ter sido um palácio, ou uma confortável casa de pessoas abastadas, parece ter sido erguida no mesmo período dos grandes templos que existiram na cidade. Dedicados a Atena, Hera e Poseidon, os templos eram as principais fontes de emprego e renda da cidade.

A antiga cidade também é lar de uma enorme necrópole que contém uma variedade de tumbas decoradas, sendo uma a mais conhecida, a Tumba do Mergulhador, a qual está decorada com um grande afresco. O objeto foi descoberto em 1968, nos arredores da cidade, e data dos anos 480 antes de Cristo.

 

Poseidonia, fundada pelos gregos do Golfo de Tarento, caiu sob domínio dos povos itálicos por volta de 480 a.C. A partir de então, a cidade adotou o nome latinizado de Paestum. Mesmo na época do Império Romano, a cidade continuou próspera. Em 871 da era moderna, com um surto de malária, a população abandonou o local e a cidade ficou deserta.

NewHistorian