O Universo pode conter dois trilhões de galáxias

Míseros dois trilhões de galáxias: esta é a estimativa mais recente do número de galáxias existentes (ou que tenham existido) no universo. Nesta atualização, o número elevou-se 10 vezes em relação à estimativa anterior e sugere a existência de inúmeras outras galáxias não catalogadas, que poderão ser vistas por futuros telescópios.

Hordas de galáxias relativamente finas são responsáveis pela maior parte desta atualização do censo cósmico. O mais curioso é que os próprios astrônomos ainda não observaram estas galáxias diretamente. Christopher Conselice, astrofísico da Universidade de Nottingham, Inglaterra, e seus colegas combinaram dados obtidos por telescópios espaciais e baseados em terra firme, para responder à pergunta: como o número de galáxias pode ter mudado através da história cósmica, diante do volume padrão do universo? A partir daí, eles calcularam quantas galáxias existem e quantas já existiram.

Antennas of the Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA), on the Chajnantor Plateau, 5000m above sea level are seen in this UHD panorama. The Milky Way can be seen to stretch high above with Eta Carinae Nebula, a bright emission nebula, shown giving off its fiery red glow. Taken during the ESO Ultra HD Expedition.

ESO/B. Tafreshi (twanight.org)

Enquanto a maioria das galáxias colidiram-se umas com as outras, até criarem novas galáxias gigantes, como a Via Láctea, a população galática reduziu-se, propõe o cientista. Isto, ainda, está de acordo com ideias anteriores sobre como galáxias massivas foram formadas. O problema, porém, é a incapacidade dos atuais telescópios observarem muitas destas galáxias. “Nós teremos de esperar por algumas décadas ainda, para que a maioria delas [galáxias] tenha sua imagem”, completam os pesquisadores.

C.J. Conselice et al. The evolution of galaxy number density at z < 8 and its implications. arXiv: 1607.03909. Published online October 10, 2016.

Science News