Após 40 anos, misterioso sinal espacial é desvendado

Através de grandes antenas espalhadas por aí, pesquisadores procuram por sinais eletromagnéticos que poderiam ter sido emitidos em uma civilização inteligente. Trata-se do SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence), um amplo conjunto de rádiotelescópios que fazem varreduras constantes nos céus, em busca de possíveis sinais de civilizações extraterrestres.

Créditos: SETI

De fato, há muita emissão espacial: campos magnéticos, radiação térmica das estrelas, radiação cósmica de fundo, explosões de raios gama, etc. Por isso, os pesquisadores procuram detectar sinais que possuam padrões desconhecidos, isto é, que não estejam ligados a fenômenos já conhecidos pela astronomia. Uma possível onda, que traria este tipo de transmissão, seria a onda de rádio — nossa civilização explora esta tecnologia há mais de 100 anos e, até hoje, utilizamos o rádio nas transmissões de televisão, internet e nas comunicações militares, além de tantas outras aplicações.

Por conta disso, a procura é centrada neste tipo de emissão, característica de comunicação em uma civilização avançada, como a nossa.

Em 1977, o astrônomo Jerry Ehman trabalhava no SETI e observou uma possível transmissão, cuja origem seria na constelação de Sagitário. Dado o padrão apresentado pelo sinal, especulou-se que o sinal teria sido produzido artificialmente, ou seja, por seres pensantes, em vez de fenômenos naturais.

Após 40 anos, parece que a origem do sinal foi desvendada, finalmente.